DE QUEM REALMENTE É O DIREITO DE IR E VIR? DO CIDADÃO OU DO BANDIDO?

          Hoje por volta das 23:30, o estudante de Engenharia Civil e musico, Antônio Mauricio de Aguiar Silva, estava chegando na faculdade onde estuda, no seu veículo, tipo Corola de cor prata, Ano 2010, Placa NIX 6533, quando foi abordado por meliantes, em frente a faculdade Mauricio de Nassau, na AV. João XXlll, Teresina PI, local onde o mesmo está concluindo seus estudos no curso acima citado.
          Ao se aproximar do estacionamento, foi surpreendido por quatro elementos que chegaram em um carro preto, de placa e características ainda não identificados, os mesmos estavam portando nas mãos, armas de fogo, tipo: revolver, e pistolas, ao se aproximarem do estudante, (Maurício) anunciaram assalto, e o rederam para o banco traseiro, seguindo com a vítima por ruas de difícil acesso e de pouca atuação da polícia.
          Depois de alguns minutos, os bandidos o deixaram em uma rua deserta que ainda não temos informação do nome, e subtraíram da vítima o seu carro levando com eles os pertences do mesmo, que sem esboçar nem uma reação, teve a felicidade de escapar com vida das ações daqueles bandidos.
Mais vem a pergunta que não quer calar, diante de uma realidade tão amarga, como fica a situação do cidadão? Que paga uma carga tributária tão alta, que passa cinco meses trabalhando para pagar impostos ao Governo, que paga para ter segurança, onde se ver o cidadão vulnerável, desarmado, inseguro de sua volta para casa, e os bandidos tripudiando e desafiando a polícia, porque sabem que a impunidade impera neste país, e isto é revoltante, pois a cada dia um filho perde o pai, e famílias sofrem os desmandos e as ações de facções criminosas.

          E um apelo que fazemos,  façam valer os direitos do cidadão, e endureçam a pena para estes crimes bárbaros, pois para quem sofre este tipo de violência, fica o terror, o medo e a insegurança. 
            Quem tiver o paradeiro deste automóvel, favor denuncie a policia, o mesmo está sendo fruto de roubo aos bandidos.         

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Topo