Novo desfecho no caso da mulher grávida morta a tiros, marido diz ter sido serviço velado da PM

Polícia
Por Luís Cardoso
Qual a versão correta? depois do crime, um novo desdobramento muda os rumos do acontecido, de um lado um acerto de contas por drogas, do outro, serias acusações de que haja participação do corpo velado da PM, 
      Em relatos feito sobre a morte contra uma mulher grávida de seis meses, e que foi anunciado neste veículo, que a mesma foi executada a tiros na manhã de ontem no Maiobão, agora já existe uma nova versão, segundo denúncias o caso poderá ter um novo desdobramento. Acusações feitas pelo marido da vítima, que também foi baleado e permanece internado no Socorrão II, relatam a seguinte tese, que ele, Jackson Dutra, estava ao volante de uma saveiro branca no momento do crime, e que as ações envolvem o Serviço Velado da PM pela morte e atentado. Segundo Jackson Dutra, de 35 anos, ele e  sua mulher Eriedna Silva Melo, foram perseguidos na estrada da Maioba e alvejados com vários tiros, por homens em um veículo não identificado.
Chorando muito e baleado, o marido contou no local que foram perseguido por um Gol vermelho desde a estrada da Mata e quando chegaram ao Maiobão, a perseguição ficou mais intensa, pois no carro estavam quatros homens encapuzados, armados,  e com coletes a prova de balas e a perseguição se intensificou ainda mais. Ele ainda conseguiu entrar no pátio da delegacia do Maiobão, mas a mulher  já esteva morta em consequência dos tiros na cabeça.

Acompanhe-nos também, pelo WhatsApp e Facebook

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Topo