O preço do erro: Prefeita de Satubinha foi reeleita e cassada por abuso de poder Político e econômico

Justiça
Dizem que o costume do cachimbo, e quem põe a boca torta, está na lei, compra de voto é crime, mas, a sensação de impunidade, cria arrogância, que traz consequências, e o resultado e perda de mandato.  

    Por decisão da Justiça, sob o julgamento do Juiz Eleitoral, da 87ª Zona Eleitoral a prefeita da cidade de Satubinha, Dulce Maciel Pinto da Cunha (PV), e seu vice Antonio Evangelista  foram cassados nesta terça-feira (13) por abuso de poder econômico e político.
    A ação do processo, foi movido pelo grupo de oposição unidos por Satubinha, que tem como advogados, Américo Lobato Neto, Felipe Mendes de Souza e Michel Ferreira Lacerda, todos especialistas em Direitos Eleitorais.
    Na ação movida, foi alegado que o grupo eleito abusou do poder político e econômico, se beneficiando da tão conhecida compra de votos. No período  da campanha eleitoral, eles utilizaram equipamentos como cadeiras, mesas, computadores e vários outros objetos do CRÁS (Centro de Referência e Assistência Social) para auxiliar a demanda no comitê.
    Com a junção dos fatores, como registros fotográficos, o fato ficou comprovado, e através da apresentação clara das provas, foi o suficiente para certificar-se do uso indevido de bens públicos para interesse próprio.
Conforme estabelece a decisão do juiz e conforme a sentença, a Prefeita e o Vice não poderão ser diplomados. Provavelmente, uma nova eleição deverá ocorrer no município.

Abaixo, decisão judicial.

Acompanhe-nos também, pelo WhatsApp e Facebook.  

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Topo