Retrato do desgoverno: Por falta de compaixão prefeita de Axixá Sonia Campos não doa caixão e morto é enterrado enrolado em sacos plásticos

Política
A falta de sensibilidade, faz com que as pessoas passem a ser desumanas, e muitas vezes a falta de compromisso com a coisa pública é tão visível que notoriamente se ver que quem ali chegou, foi de certa forma atropelando a legalidade e a moralidade de uma vontade popular.

    Comenta-se pela opinião popular que; o que está acontecendo no município de Axixá é uma prática que apesar de irregular, imoral e maléfica, mas que é muito costumeira no cenário politico brasileiro, é a falta de compromisso por se achar que nada deve ao povo, e que depois de sentar na cadeira como gestor, as regras são ditadas conforme sua vontade, há comentários que lá em Axixá, a prefeita que foi eleita comprando votos, só ajuda quem trabalhou em prol de sua campanha, e segundo relatos, ela apronta sempre alguma, e agora volta a aprontar. 

E em suas frases ditatoriais ela expressa um verdadeiro sentimento de desprezo com as pessoas, principalmente quem foi por ela manipulado com a famigerada compra de votos, uma verdadeira humilhação, mas infelizmente é um preço que se paga, quando se faz do voto que é uma arma contra maus políticos, um balcão de negociatas, (vendas) Sabe o que isto significa? olha a resposta nesta atitude da prefeita de Axixá, comentários relatam, ´Porém, agora ela está cumprindo o que havia prometido: aos amigos os favores e aos inimigos, os rigores. (Rigores da incoerência e do descaso).

Entenda o teor desta Postagem:
No dia 06 de janeiro deste ano a prefeita negou-se a fazer uma doação de um caixão para um senhor de idade, que veio a falecer, sem condições foram pedir-lhe uma ajuda  mas foi negado, e por isto acabou sendo “embalado” em uma rede e coberto por sacos plásticos para ser sepultado. Significa que nem na hora da morte ele foi respeitado.

Fonte: Blog do Eudes Félix 
Acompanhe-nos também, pelo WhatsApp e Facebook

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Topo