Ataque ao povo Gamela deixa deixa dezenas de feridos em Viana, entre elas está o Padre

Polícia
Os conflitos por terra, principalmente nas áreas indígenas, tem causado muitas confusões, na maioria das vezes, são fazendeiros que  buscam a chamada desocupação, em terras que são demarcadas para a classe indígena.  
Muitos conflitos marcaram este final de semana e o feriado prolongado, Indígenas Gamelas foram covardemente atacados por pistoleiros no município de Viana. O fato ocorreu na tarde do dia 30 de abril de 2017. Fala-se em quatro ou cinco atingidos por arma de fogo. Vários outros indígenas foram agredidos com facões e pauladas. Entre os feridos está o indígena Kum`Tum Gamela (Inaldo Vieira Serejo), ex-padre e ex-coordenador da Comissão Pastoral da Terra (CPT) no Maranhão.

Segundo informações, ele vinha sendo ameaçado de morte, há algum tempo e neste domingo foi agredido e está entre os feridos, mesmo com o acontecido, demorou a ser levado para um hospital por conta da insegurança na área, só sendo conduzido para atendimento médico por volta das 22 horas, acompanhado de uma freira argentina, a irmã Cristina. O indígena Kum`Tum Gamela é uma referência na luta social do Maranhão e do Brasil, exemplo de dignidade dos oprimidos, que encarna o que tem de melhor na história da Teologia da Libertação.

Apurando os fatos, em uma conversa informal, o padre Nilton Lima disse que ele foi ordenado padre em setembro de 1997 e que, além da filosofia e teologia, ele é formado também em sociologia pela UFMA. Foi padre em Alcântara e Bequimão e coordenador da CPT por uns anos. “Ele é incardinado na diocese de Pinheiro, ou seja pertence ao Clero de Pinheiro, mas por conta da luta ele vive por aqui. Ele decidiu não assumir funções paroquiais, mas a Diocese de Viana está aberta claro ele deseje e sempre foi envolvido na luta das minorias, principalmente na questão da CPT, do Charco e dos indígenas”, disse.

São casos lamentáveis e a questão dos Gamelas é mais uma tragédia anunciada. Os desdobramentos do que está ocorrendo em Viana pode, mais uma vez, colocar o Maranhão como exemplo de barbárie para o Brasil e para o mundo. Os indígenas não vão recuar! A terra é dos Gamela! Uma terra que lhes foi tomada a partir de históricas grilagens.

Fonte: Blog do Neto Weba

Nos acompanhe e fiquem informados.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Topo