Nove suspeitos de cometerem crimes ambientais, são presos na operação Curió Legal

Ibama/Meio Ambiente
O aprisionamento e maus tratos de animais que formam a fauna brasileira, constitui em crime previsto no código penal, a fiscalização por parte da polícia e órgãos competentes, já tem desmontado várias pessoas que cometem este crime absurdo contra a natureza.
      SÃO LUÍS - Em operação conjunta, a Polícia Federal (PF), com o apoio do Ibama e do Instituto Chico Mendes (ICMBio), deflagrou, nesse domingo (13), a operação Curió Legal com o objetivo de debelar a prática de delitos ambientais contra a fauna que estão sendo praticados nos torneios de pássaros, canoros na Região de São Luís, além de outros delitos relacionados como posse e porte de arma de fogo.

É uma prática ilegal, e que configura crimes e maus tratos, e a partir das investigações, foi possível constatar que as suspeitas recaiam sobre os criadores amadoristas competidores. A recorrência de anilhas falsas ou fraudadas nesses concursos é muito forte, e muitas vezes os pássaros nem se quer possuem a referida marcação. A corroborar as suspeitas, o Ibama informou que há mais de um ano não entrega anilhas novas a criadores amadoristas no estado do Maranhão.

Sendo assim, o que se pode observar foi que muitos dos pássaros que participaram desse torneio teriam sido capturados na natureza de forma clandestina e foram postas anilhas falsas, caracterizando os delitos do Artigo 296, do Código de Processo Penal bem como do Artigo 29 da Lei, 9.605/98, Lei de Crimes Ambientais, entre outros.

      Os pássaros são expostos em torneios que reúnem muitos adeptos onde os espécimes vencedores são muito valiosos, chegando a custar uma boa quantia em reais cada um. Evidentemente que os melhores cantores são encontrados na natureza e não nos cativeiros, onde em tese estariam legais.

Na operação, foram mobilizados cerca de 55 policiais federais, dez servidores do Ibama, dois do ICMBio participaram da operação. A ação policial ocorreu em um clube local utilizado para esse tipo de competição e frequentado pelos criadores de canários e outras aves na capital maranhense.

om a mobilização da polícia, que deflagrou o ato ilegal, foram efetuadas nove prisões em flagrante, tendo sido os procedimentos de polícia judiciária lavrados na Superintendência Regional de Polícia Federal no Maranhão. Foram apreendidas (62 aves), 1.750 projéteis de pistola 9mm, três armas de fogo, 101 projéteis de fuzil 556, além de 2 caixas acústicas, meio extremamente cruel utilizado para treinamento dos pássaros cantores, uma verdadeira quadrilha organizada que cometiam crimes ambientais.

Por Neto Weba

Acompanhe-nos e fiquem informados de tudo.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Topo