É o cúmulo: Por não aceitar cantada, para sair com um homem, professora leva socos e cuspidas no rosto e não conseguiu registrar BO

Polícia
É o cumulo do absurdo, a pessoa não poder decidir com quem quer sair, com quem possa traçar suas amizades, e nem tem o direito de escolher a pessoa ideal, que é torturada, pode isso Arnaldo?
     Contrariando toda a lei do livre arbítrio, e voltando aos tempos da opressão um ex-funcionário da Prefeitura Municipal de Caxias, de nome Guilherme Amorim, foi acusado pela professora Luana de Oliveira, que  diz ter sido agredida pela fato de se recusar a sair com ele. Amorim teria lhe dado um soco e uma cuspida no rosto. Segundo informações, ela tentou registrar uma queixa na delegacia, mas foi em vão.

Sabemos que muitas são as impunidades, e que muitas vezes as pessoas são tratadas como lixo humano, e como não conseguiu registrar o Boletim de Ocorrência contra o agressor, Luana resolveu tornar o caso público  através de sua rede social e conta que foi agredida “pelo simples fato do monstro querer sair com ela e ela dizer não. Eu disse não. Eu não quis sair com ele, exclama a professora. e por tal decisão própria, ele me deu um soco e cuspiu na minha cara”, afirmou categoricamente a vítima da agressão.
Confira no vídeo abaixo o relato da professora. Como não consegue nem mesmo registrar um BO sobre a violência, sofrida, a professora não entende como nada em Caxias funciona.
Acompanhe nossa página e fiquem informados de tudo.

Um comentário

  1. Sacanagem... É sempre assim, o bem parece estar sendo vencido mas Deus é maior.

    ResponderExcluir

Topo