Uma visão de futuro: Em uma publicação de um Artigo, ex-reitor do IFMA Professor Zé Costa, defende indicação de Chico Buarque para vice na chapa de Lula

Política
Um homem respeitado de visão futurística, e sendo dentro do cenário político do PT um grande articulador e orientador, o ex-reitor, e Professor Zé Costa, é sempre visto e lembrado como defensor da candidatura própria do PT.
Lula-PT e Chico Buarque 
      A grande diferença entre o articulador político e o seguidor da política, e a visão de futuro e de pensar como grupo, tendo todos estes requisitos, e esta percepção de futuro, o ex-reitor do Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Maranhão (IFMA), professor José Costa, popularmente conhecido por Zé Costa, publicou em um dos seus artigos, uma  inusitada e provocativa publicação citando representações para o partido, e no mínimo inteligente. 

Na publicação, o professor defendeu o nome do cantor, compositor e escritor Chico Buarque para ser o candidato a vice numa eventual chapa de presidente da República liderada por Lula (PT).

“Nesse mesmo, Lula mais uma vez terá a acuidade de escolher um companheiro de chapa com temperamento humano, forjado na família e na convivência social e política, ninguém melhor que o Sr Francisco Buarque de Holanda. O Chico Buarque, músico, compositor, dramaturgo e escritor brasileiro, um dos maiores nomes da MPB e uma das personalidades mais politizadas na música e no meio artístico nacional”, escreveu assim o líder político Professor Zé Costa.

Professor Zé Costa é filiado ao PT e disputou a prefeitura do município de Zé Doca nas eleições de 2016. Um dos quadros mais respeitados do partido no estado, o ex-reitor é sempre lembrado quando o assunto é candidatura próprio do PT no pleito de 2018.

Confira a íntegra do artigo do professor Zé Costa.

Chico Buarque vice de Lula

Líder político e ex-reitor do IFMA, Professor Zé Costa-PT
      Abro esta página para defender a candidatura do Chico Buarque de Holanda como candidato a Vice-Presidente da República na chapa com Lula Presidente.

Uma das grandes preocupações no ambiente político do momento não se encerra no julgamento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pela 8ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), marcado para 24 de janeiro. Esse julgamento aparece no cenário como mais um round de uma luta jurídico-política que começou na escolha do Sr. Michel Temer para compor a chapa de Dilma Rousseff como Vice-presidente, que infelizmente viu nessa candidatura a oportunidade de trair a companheira de chapa e ocupar a cadeira presidencial que jamais chegaria pelo voto popular.

Ao pensar na composição de uma chapa para a disputa eleitoral, não vamos nos martirizar na lembrança amarga que fez Dilma, vamos nos inspirar no exemplo memorável que foi o saudoso empresário, político, vice-presidente José Alencar, vice de Lula, um cidadão progressista e cuidadoso com as questões nacionais, um interlocutor do governo ante a população, às empresas, às entidades de classe e aos sistemas produtivos. Alencar soube honrar e dignificar o posto da Vice-presidência da República que, a despeito de discordar de algumas políticas empreendidas pelo governo, jamais traiu a confiança do povo e soube ser um parceiro no compromisso de servir ao Brasil.

Nesse mesmo Lula mais uma vez terá a acuidade de escolher um companheiro de chapa com temperamento humano, forjado na família e na convivência social e política, ninguém melhor que o Sr Francisco Buarque de Holanda. O Chico Buarque, músico, compositor, dramaturgo e escritor brasileiro, um dos maiores nomes da MPB e uma das personalidades mais politizadas na música e no meio artístico nacional.

No momento em que cresce o apelo popular por uma faxina ética na política, o nosso Chico Buarque é um homem preparado para fazer dupla com Lula. Ele jamais foi candidato a cargo público, mas tem a genética dessa causa. É filho do importante historiador Sérgio Buarque de Holanda (1902-1982), autor de livros essenciais à formação nacional, a exemplo de “Raízes do Brasil”(1936), e da pintora e pianista Maria Amélia de Carvalho Cesário Alvim (1910-2010). Pelo berço em que foi criado, pelos livros que leu e o convívio que teve na fase de sua formação intelectual e política, Chico Buarque desenvolveu seu caráter como um crítico do regime militar que o levou ao exílio na Itália em 1969. Compôs músicas como “Apesar de você”, uma referência à situação militar e “Cálice”, proibidas pela censura brasileira porque realçavam a repressão imposta pelo regime autoritário. Voltou ao Brasil e jamais foi omisso, continuou oferecendo sua contribuição na formação social e política dos brasileiros. Hoje, esse brasileiro engajado está pronto para ser o nosso próximo Vice-presidente da República na chapa com Lula.

Acompanhe nossa página e fiquem informados de tudo.


Nenhum comentário :

Postar um comentário

Topo