Carnaval Carioca pode ter no seu resultado uma prévia das urnas pelo seu tema forte sobre a corrupção

Carnaval/política
Duas escolas de samba do Rio de Janeiro, foram os destaques como campeã e vice campeã no carnaval 2018, pelos seus destaques no samba enredo, e que levaram para avenida no sambódromo da Marquês de Sapucaí duras criticas contra a corrupção e o escravismo.
      Diante de um Sambódromo animado e super-lotado, o recado veio da escola de samba Beija Flor de Nilópolis levantando toda arquibancada e levando o povo a passarela, e com esta dinâmica, foi a grande campeã do carnaval 2018 do Rio de Janeiro e conquistou o 14º título da escola. A vice-campeã foi a Paraíso de Tuiuti, que apareceu como a grande surpresa do carnaval carioca que também levou um tema parecido.

O povo entendendo o recado, levantaram a voz em um só grito. O curioso é que as duas escolas abordaram a corrupção. A Beija-Flor fez um paralelo entre o romance “Frankenstein” e as mazelas sociais brasileiras. Corrupção, desigualdade, violência e intolerâncias de gênero, racial, religiosa e até esportiva formaram o cenário de “Brasil monstruoso”.

Com a mesma vontade e dinamismo o desfile foi Comandado por Neguinho da Beija-Flor, o samba-enredo “Monstro é aquele que não sabe amar (Os filhos abandonados da pátria que os pariu)” foi cantado em coro pelo público da Sapucaí, que ao final do desfile ocupou a avenida, seguindo a escola.

Com um tema também muito crítico, a vice-campeã fez bonito e arrancou o segundo lugar, a Paraíso de Tuiuti, contou a história da escravidão no Brasil e condenou a reforma trabalhista aprovada recentemente. O destaque da Tuiuti ficou no último carro da escola, que levou um vampiro com uma faixa presidencial para a Marquês de Sapucaí, onde representava o presidente Michael Temer.

Acompanhe nossa página e fiquem informados de tudo

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Topo