Justiça: Sérgio Moro determina que Lula deixe sede da PF para ser interrogado

Justiça
Por folha de São Paulo
Resultado de imagem para lula preso      Mais um capitulo na história do ex-presidente Lula que vem sendo duramente castigado pelo Juiz Sérgio Moro sobre acusações que ainda não foram mostrado provas. O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) deve deixar a sede da PF (Polícia Federal) em Curitiba pela primeira vez no dia 11 de setembro, quando será interrogado pelo juiz federal Sérgio Moro no processo sobre o sítio de Atibaia. Nesta quarta-feira (27), o magistrado expediu um ofício para que a PF tome as “providências necessárias para a realização de escolta” de Lula para a sede da Justiça Federal na capital paranaense, onde será realizada a audiência.


Caso não haja uma decisão judicial para conceder a liberdade a Lula o que pode acontecer no STF (Supremo Tribunal Federal), essa será a primeira ocasião, depois de cinco meses, em que o petista sairá do 4º andar da sede da PF, onde está custodiado.

Lula está preso desde 7 de abril para cumprir sua pena de 12 anos e um mês de prisão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro, investigados pela Operação Lava Jato.

Além de Lula, também serão escoltados outros dois réus do processo do sítio que também estão custodiados na sede da PF: Léo Pinheiro, ex-presidente da empreiteira OAS, e Agenor Franklin de Magalhães Medeiros, ex-diretor da mesma empresa.

      Consultada pelo UOL, a defesa de Lula ainda não avaliou se irá pedir para que a audiência seja realizada por meio de videoconferência, como seria feito no processo da Operação Zelotes, que tramita na Justiça Federal no Distrito Federal.

Em função da situação de Lula, o juiz Vallisney de Souza Oliveira aceitou o pedido da defesa e do próprio ex-presidente para que os argumentos do petista fossem ouvidos à distância e da sede da PF, e não da Justiça Federal em Curitiba, que seria o comum. O trajeto entre os dois prédios é de cerca de cinco quilômetros. O interrogatório para Brasília foi adiado para dia indeterminado.

Desde que foi preso, Lula só teve uma aparição pública, em 5 de junho, em depoimento como testemunha de defesa do ex-governador Sérgio Cabral. O encontro foi marcado por piadas.

No processo do sítio, é investigado se Lula recebeu cerca de R$ 1 milhão das empresas Odebrecht, OAS e Schahin por meio de obras feitas na propriedade, que era frequentada por ele e sua família.

O MPF (Ministério Público Federal) diz que o sítio, registrado em nome de outras pessoas, pertence, na verdade, ao ex-presidente. A defesa de Lula nega.

Esse será o terceiro encontro entre Lula e Moro. Em maio do ano passado, o petista foi ouvido no processo do tríplex, pelo qual já foi condenado. Em setembro de 2017, Lula foi ouvido em um processo que envolve um terreno para o Instituto Lula. Essa ação ainda está em andamento.

Acompanhe nossa página e fiquem informados de tudo.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Topo